fbpx
quinta-feira, fevereiro 29, 2024
DestaqueSalas Limpas

Regras básicas para projetar laboratórios de pesquisa e controle de qualidade

Layout deve ser elaborado levando em consideração as necessidades de cada área do laboratório, bem como o número de pessoas que irão trabalhar no mesmo, equipamentos e corredores de passagem.

Algumas regras básicas devem ser seguidas para projetar laboratórios de pesquisa e controle qualidade.  Ergonomia, rotas de fuga, fluxo de pessoas, produtos, materiais, conforto, acessos e necessidade de utilidades são considerados indispensáveis. O layout deve ser elaborado levando em consideração as necessidades de cada área do laboratório, bem como o número de pessoas que irão trabalhar no laboratório, equipamentos e corredores de passagem.

Alguma dicas podem auxiliar a definir um layout funcional:

1 – Disponha as capelas longe das rotas de acesso e circulação. São nelas que os acidentes, explosões, etc, tendem a ocorrer, portanto, é conveniente evitar que alguém em circulação possa vir a sofrer o resultado destes.

2 – Preveja corredores suficientemente largos para que o analista possa passar com o material a ser utilizado sem chocar-se com outros, normalmente 1,50m é o ideal.

3 – Coloque chuveiros de emergência e lava-olhos próximos a estas capelas, de tal maneira e em tal quantidade que uma pessoa acidentada possa facilmente encontrá-los sem andar mais que alguns poucos metros (5 a 10 metros sem obstáculos).

4 – A instalação do chuveiro de emergência / lava-olhos na direção de saída é útil, pois mesmo sem enxergar, a pessoa consegue orientar-se quanto à direção da saída.

5 – Certifique-se que a abertura de portas não venha a provocar acidentes. Disponha de visores.

6 – É importante prever-se rotas de fuga que permitam a fácil evacuação da área em caso de incêndio.

7 – Certifique-se de que há lugar suficiente, não apenas para o equipamento, mas também para as pessoas.  

8 – Verifique o quanto o analista deverá circular para cumprir as tarefas definidas.

 Etapas de projeto  

– Engenharia: a sugestão é a adoção sistemas flexíveis de infraestrutura que permitam atender ao dinamismo das necessidades, quer seja de ampliação e/ou incremento de novos equipamentos ou tecnologias;

– Arquitetura: há uma preocupação com o layout de modo a atender os fluxogramas, as normas de segurança, a resistência dos materiais, futuras ampliações, etc.;

– Engenharia Elétrica, Lógica e Telefonia: devem ser adequadas às necessidades especificas como: redes normais, estabilizadas, a prova de explosão, a prova de gases, circuitos de emergência. Além do dimensionamento adequado, devem ter todas as proteções necessárias e atender as alterações constantes da flexibilidade de um laboratório;

– Engenharia Mecânica: o Ar Condicionado, Exaustão, Ventilação, Filtragem e/ou Lavagem dos gases de um laboratório têm características próprias envolvendo toxidade, corrosão e vários tipos de contaminação, todas elas são avaliadas e equacionadas;

– Engenharia de utilidades: nessa área os especialistas executam seus trabalhos levando em consideração os equipamentos do laboratório, as necessidades e características de materiais de limpeza das tubulações de modo a não contaminar os gases de alimentação dos equipamentos, como também definem todos os materiais e tratamento de efluentes;

– Engenharia de Segurança: no laboratório, o manuseio de materiais tóxicos, ácidos, solventes, bacteriológicos e virológico é comum e requer um estudo de modo a garantir a saúde dos ocupantes da edificação como para a própria edificação. Os engenheiros atuam durante todo o processo de concepção da arquitetura, da engenharia e no treinamento dos usuários.

Redação: Portal Boas Práticas

Foto:  U.S. Food and Drug Administration

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

shares
×