fbpx
quinta-feira, abril 25, 2024
Notícias

Bayer tem início de ano bem sucedido

“Todos os segmentos registraram ganhos em seu desempenho operacional”, disse o CEO Dr. Marijn Dekkers, ao apresentar os resultados do primeiro trimestre.

Na divisão Pharmaceuticals, a Bayer novamente se beneficiou do excelente desempenho dos produtos recentemente lançados. A Consumer Health também evoluiu positivamente. A Crop Science superou o trimestre do ano anterior, apesar do mercado desfavorável. A área de Saúde Animal registrou ganhos substanciais. Sendo assim, o negócio de Ciências da Vida obteve uma evolução encorajadora. As vendas na Covestro diminuíram como previsto, enquanto os ganhos subiram significativamente. Dekkers mantém-se otimista para o ano como um todo: “Nós confirmamos a nossa perspectiva para 2016.”

As vendas do Grupo Bayer avançaram no primeiro trimestre de 2016 em 0,5%, para 11,941 bilhões de euros (T1 2015: 11,879 bilhões de euros). Após o ajuste para efeitos cambiais e de portfólio (reaj.), o aumento foi de 3,2%. O EBITDA antes de itens especiais avançou substancialmente em 15,7%, para 3,404 bilhões de euros (T1 2015: 2,941 bilhões de euros), apesar das maiores despesas de pesquisa e desenvolvimento nas divisões Pharmaceuticals e Crop Science e dos efeitos negativos do câmbio, em cerca de 60 milhões de euros.

O EBIT subiu robustos 20,1%, para a ordem de 2,335 bilhões de euros (T1 2015: 1,944 bilhão de euros) após encargos especiais de 272 milhões de euros (T1 2015: 244 milhões de euros). Estas perdas são compostas principalmente por imparidade, decorrente de ativos intangíveis, custos de integração dos negócios adquiridos e custos associados a medidas de melhoria da eficiência. O lucro líquido cresceu em 13,3%, para 1,511 bilhão de euros (T1 2015: 1,334 bilhão de euros). O índice de ganhos por ação de operações continuadas avançaram 13,9%, para 2,37 euros (T1 2015: 2,08 euros).

O fluxo de caixa bruto das operações continuadas avançou 28,1%, para 2,576 bilhões de euros (T1 2015: 2,011 bilhões de euros), principalmente devido à expansão dos negócios. O fluxo de caixa líquido (total) diminuiu pelo aumento em dinheiro atrelado ao capital de giro, mas aumentou 82,6%, para 1,322 bilhões de euros (T1 2015: 724 milhões de euros), principalmente por causa da entrada de fluxo da alienação das atividades relacionadas ao negócio de Diabetes Care. A dívida financeira líquida diminuiu 1,1 bilhão de euros em relação a 31 de dezembro de 2015, chegando a 16,3 bilhões de euros em 31 de março de 2016.

A Divisão Pharmaceuticals conquistou um crescimento substancial em termos de vendas e lucros
As vendas de medicamentos sujeitos à prescrição médica (produtos farmacêuticos) subiram no primeiro trimestre em 12.2% de forma muito animadora (Fx & portfólio adj.) para 3,889 bilhões de euros. “Grande parte desse resultado positivo se deve ao desenvolvimento contínuo de produtos lançados recentemente pela empresa”, disse Dekkers. O anticoagulante Xarelto®, o medicamento para a vista, Eylea®, os medicamentos contra o câncer, Stivarga® e Xofigo®, e o Adempas®, para tratar a hipertensão pulmonar, geraram vendas totais combinadas de 1,187 bilhões de euros (T1 2015: 898 milhões de euros). O Xarelto® foi um incentivo para ganhos de vendas de 31.5% (Fx adj.), que eram principalmente atribuíveis ao aumento de volume na Europa e no Japão. Os negócios com o Xarelto® também evoluíram positivamente nos Estados Unidos, onde é comercializado por uma subsidiária da Johnson & Johnson. A Bayer registrou vendas mais elevadas (Fx adj., mais 48.9%) do medicamento Eylea®, em todas as regiões, particularmente na Europa, Canadá e Japão.

Entre os produtos estabelecidos, o medicamento de coagulação do sangue Kogenate® alcançou ganhos de vendas significativas se comparado ao mesmo trimestre do ano anterior. A Bayer também começou a comercializar o novo medicamente para hemofilia, intitulado Kovaltry®, na Europa e nos Estados Unidos no primeiro trimestre de 2016. As vendas da família de produtos Kogenate®/Kovaltry® subiram em 13.7% (Fx adj.). Os negócios com os dispositivos intrauterinos com liberação de hormônios, da família de produtos Mirena®, aumentaram em 7.2% (Fx adj.) No geral, beneficiando-se especialmente de volumes expandidos nos Estados Unidos. A droga contra o câncer, Nexavar®, alcançou um crescimento de reajuste cambial de 10.8%, devido principalmente a ganhos consideráveis de vendas nos Estados Unidos. As vendas do produto contra a esclerose múltipla, Betaferon®/Betaseron®, caíram 7.9% (Fx adj.).

Isso ocorreu, em partes, devido a mudanças na desativação gradual de contratos na América Latina. Por outro lado, as vendas aumentaram nos Estados Unidos. No geral, a Bayer ampliou a atividade farmacêutica (Fx adj.) em todas as regiões.

O EBITDA antes dos itens especiais da divisão avançou de 16.2%, para 1,261 bilhão de euros. Este aumento nos lucros deve-se, em grande parte, a um desempenho comercial muito bom, mais do que compensando maiores investimentos em pesquisa e desenvolvimento e os efeitos negativos do câmbio de cerca de 30 milhões de euros.

Desenvolvimento positivo da Consumer Health
“Nosso negócio com produtos de autocuidado, também apresentou uma evolução positiva”, disse Dekkers. As vendas da Divisão Consumer Health aumentaram em 2,2% (Fx & portfólio adj.) para 1,520 bilhões de euros. O negócio registrou ganhos significativos na América Latina/África/Oriente Médio e na Ásia/Pacífico, enquanto as vendas caíram na Europa devido, principalmente, à situação macroeconômica na Rússia. As vendas diminuíram ligeiramente nos Estados Unidos.

Ganhos significativos na ordem de 10,4% (Fx adj.) foram alcançados com Bepanthol®/Bepanthen®, destinados a tratamento de ferimentos e cuidados com a pele, enquanto o negócio com o antifúngico Canesten® avançou de 21,1% (Fx adj.). O produto multivitamínico Berocca® também se desenvolveu positivamente (Fx adj., mais 31,6%). Já as vendas do anti-histamínico Claritin cairam para 7,4% (Fx adj.), completando um ciclo ao longo de um forte trimestre do ano anterior, devido a alterações no volume de pedidos na China. O aumento acelerado nas vendas nos Estados Unidos não foi suficiente para compensar este efeito. A família Alka-Seltzer®, de produtos para o tratamento de queixas gástricas e sintomas de resfriado, registrou uma queda nas vendas de 14,5% (Fx adj.), devido, sobretudo, a uma estação fria mais fraca nos Estados Unidos.

O EBITDA antes dos itens especiais melhorou em 3,8%, para 383 milhões de euros. Além das contribuições em lucros obtidos com o desenvolvimento positivo das vendas, as sinergias de custos produziram um efeito favorável. Por outro lado, os efeitos negativos do câmbio atingiram cerca de 20 milhões de euros.

Cenário comercial fraco em andamento na área de Crop Science
As vendas do primeiro trimestre da Crop Science aumentaram em 1,2% (Fx & portfólio adj.) para 3,023 bilhões de euros. “Nós ampliamos levemente os negócios na área de Proteção de Cultivos/Sementes, apesar do cenário comercial fraco em que estamos”, explicou Dekkers. Em termos regionais, o negócio da Crop Science apresentou uma evolução positiva”, na América do Norte em particular (Fx adj., mais 3,8%). Na América Latina/África/Oriente Médio, as vendas aumentaram levemente, na ordem de 1,0% (Fx adj.), enquanto que as vendas na Europa foram parelhas ano a ano (Fx adj., mais 0,7%). Os negócios na região da Ásia/Pacífico diminuíram em 2,5% (Fx adj.).

No Proteção de Cultivos, o negócio de sementes cresceu em 5,4% (Fx. & Portfólio adj.). O negócio de fungicidas também apresentou uma evolução positiva”, (Fx & portfólio adj. mais 2,9%), enquanto que as vendas de inseticidas e herbicidas diminuíram (Fx & portfólio adj. menos 12,2% e de menos 3,8%, respectivamente). As vendas de sementes cresceram em substanciais 11,9% (Fx & portfólio adj.). O negócio nas Ciências Ambientais avançou 3,0% (Fx & portfólio adj.).

O EBITDA antes de itens especiais da Divisão Crop Science melhorou em 6,3%, para 1,106 bilhões de euros. As contribuições dos lucros obtidos com os preços de venda mais altos e menor custo dos produtos vendidos se opuseram aos maiores gastos com pesquisa e desenvolvimento e a um efeito cambial negativo, de 15 milhões de euros.

Os benefícios da área de Saúde Animal advindas de fortes negócios dos EUA

O negócio de Saúde Animal fez crescer as vendas em 8,8% (Fx & portfólio adj.) para 408 milhões de euros. Este crescimento foi atribuído principalmente ao aumento da demanda nos Estados Unidos. Enquanto as vendas da família ADVANTAGE®, produtos contra pulgas, carrapatos e de controle de vermes aumentaram em 3,5% (Fx adj.), as vendas do produto SERESTO®, coleira contra pulgas e carrapatos, quase dobraram. O EBITDA antes dos itens especiais na área de Saúde Animal subiu de 19,6%, para 122 milhões de euros.

O crescimento dos lucros substanciais na Covestro

As vendas do negócio de materiais poliméricos de alta tecnologia (Covestro) caíram em 4,7% (Fx & portfólio adj.) para 2,85 bilhões de euros. Os preços de venda caíram significativamente, principalmente devido à evolução dos preços das matérias-primas e sobretudo dos Poliuretanos. Os volumes estiveram acima do nível do total do trimestre do ano anterior. O EBITDA antes dos itens especiais também melhorou na ordem de consideráveis 18,9%, para 504 milhões de euros. Os maiores volumes e preços reduzidos de matérias-primas superaram os preços de vendas mais baixos, produzindo um aumento líquido nos lucros.

Perspectiva para 2016 confirmada

A Bayer confirma a previsão para o ano inteiro, publicada em fevereiro. De acordo com isso, as vendas de aproximadamente 35 bilhões de euros estão previstas para os negócios focados em Ciências da Vida, ou seja, o Grupo Bayer, excluindo-se a Covestro (2015 pro forma: 34,342 bilhões de euros). Isto corresponde a um aumento percentual médio na ordem de um dígito, em efeitos cambiais e de portfólio ajustado. A Bayer também pretende aumentar o EBITDA diante dos itens especiais dos negócios focados em Ciências da Vida, também no percentual médio na ordem de um dígito (2015 pro forma: 8,607 bilhões de euros). A empresa pretende aumentar os ganhos principais por ação, advindos de operações contínuas, incluindo a Covestro também pelo percentual médio na ordem de um dígito (2015: EUR 6,83). (Vide Capítulo 18.2 do  Relatório anual de 2015 para a previsão completa.)

Os dados-chave da Bayer, do 1º Trimestre de 2016, poderão ser encontrados aqui (Alguns dados de anos anteriores são reajustados.)

O relatório completo para o 1º  trimestre está disponível para visualização online e download em www.quarterly-report-2016-q1.bayer.com

Fonte: Bayer

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

shares
×