fbpx
terça-feira, fevereiro 27, 2024
Notícias

Departamento da Indústria da Construção da Fiesp planeja ações para alavancar setor

O Departamento da Indústria da Construção (Deconcic) da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) realizou no início da semana passada sua primeira reunião plenária de 2016, na sede da entidade.

No início do encontro, representantes de entidades relataram sua preocupação com o setor para este ano, com a expectativa de crescimento mais baixo que no ano passado. Eduardo Rodrigues Machado Luz, coordenador do Comitê da Mineração da Fiesp (Comin) acredita que os próximos anos serão de estagnação. “Vamos passar dois anos difíceis, estabilizando apenas em 2018”, afirmou.

Carlos Roberto Petrini, presidente executivo do Sindicato da Indústria de Produtos de Cimento do Estado de São Paulo (Sinaprocim) acredita que todos os setores da cadeia serão afetados neste ano. “Isso (crise) faz parte de todos os elos da cadeia, uma coisa puxa a outra, é um efeito dominó. Será um ano difícil, e eu não enxergo nada a curto e médio prazo para reversão do quadro. É necessário criar mecanismos, facilitadores e créditos para minimizar os efeitos no setor. Teremos que trabalhar muito para fazer um ano médio para menos”, disse.

Para Carlos Eduardo Pedrosa Auricchio, diretor titular do Deconcic, é fundamental a volta de investimentos no setor produtivo diante do quadro recessivo do setor. “Todos nós aqui temos convicção que a construção civil é a principal porta de saída para a crise que estamos vivendo”, concluiu.

Ações para 2016
Para alavancar o setor, o Deconcic incluiu em seu planejamento diversas ações para as áreas de gestão, tributação e cadeia produtiva, no âmbito do Programa Compete Brasil da Fiesp.

Gestão

A área de gestão engloba o Sistema Integrado de Licenciamento de Obras (Silo), Modelagem de Informações da Construção (BIM), Segurança em Edificações e Responsabilidade com o Investimento (RI).

Para o Silo, estão definidas a formalização da parceria com a Secretaria Municipal de Licenciamento da Prefeitura de São Paulo para implantação do sistema e a criação de um projeto de lei (PL) ou termo de referência para regulamentar a implantação do Silo nos municípios no Estado de São Paulo. O Bim prevê retomada do Grupo de Trabalho do Deconcic/Consic e a criação de PL para obrigatoriedade do BIM em obras a partir de um valor mínimo.

Já para Segurança em Edificações a meta é a elaboração de PL em âmbito estadual para obrigatoriedade de inspeção periódica em edificações. Também se pretende dar continuidade às articulações para aprovação dos PL nº 6014/2013 e PLC nº 31/2014, no âmbito do conselho de Desenvolvimento Urbano (CDU).

Responsabilidade com o Investimento contará com ações para solucionar atrasos de pagamento de obras públicas e definição de agenda de trabalho para elaboração de PL (a Lei de Responsabilidade com o Investimento). “Temos que nos comunicar com a Assembleia e buscar ferramentas e criar uma lei financeira; foi isso que faltou em 2015”, disse Manoel Carlos de Lima Rossitto, diretor titular adjunto do Deconcic. Em tributação está prevista a assinatura do protocolo de intenções para redução do FAP/RAT.

Na área de marcos legais o Deconcic irá acompanhar as discussões acerca da Lei de Concentração dos Atos da Matrícula do Imóvel na Comissão de Desenvolvimento Urbano (CDU) da Câmara dos Deputados. Durante a reunião, Mario William Esper, diretor titular adjunto do departamento, sinalizou que haverá negociação, buscando um acordo, e que o pleito será feito por meio de Deconcic-Fiesp, Secovi-SP e Abecip.

Cadeia produtiva

As ações para 2016 na área da cadeia produtiva trabalham em duas esferas: materiais, máquinas e equipamentos e construção industrializada.

Para materiais, máquinas e equipamentos será atualizado estudo sobre asfalto (em parceria com o Departamento de Infraestrutura (Deinfra) da Fiesp. Na construção industrializada a ideia é retomar o grupo de trabalho do Deconcic sobre o tema.

Exposição do setor

Além das ações para as áreas do setor, haverá também a participação do departamento em eventos promovidos dentro e fora da Fiesp. Entre eles, está o concurso Acelera Startup, com foco em Habitação, trabalho que será realizado em conjunto com o Comitê Acelera Fiesp e a CDHU, com participação da Caixa Econômica Federal, entidades do setor e universidades. Missões empresariais internacionais também estão no calendário do Deconcic.

Para este ano, também está previsto o lançamento do 12º ConstruBusiness. “Estamos definindo data e escopo, mas sabemos que vamos manter o mesmo padrão dos outros anos, abrangendo todo o país, com um capítulo especial dedicado a São Paulo”, explicou Auricchio.

Observatório da Construção
O departamento prevê para este ano reforçar o Observatório da Construção com o lançamento de uma ferramenta online para acompanhamento de obras emblemáticas, criação de página especial sobre indicadores setoriais e a criação de espaços dedicados às demandas do Deconcic com a Frente Parlamentar da Industria da Construção e o Conselho de Desenvolvimento Urbano.

Frente Parlamentar da Construção (FPIC)

Durante a reunião, Itamar Borges, deputado estadual (PMDB) e coordenador da Frente Parlamentar da Indústria da Construção (FPIC), falou sobre a importância do lançamento da FPIC para o setor. “Estamos vivendo um choque de realismo que nos preocupa e nos prepara para enfrentar o ano que vem ai. A frente nasceu para apoiar, lutar e defender o setor.  Temos previsões e desafios para enfrentar e precisamos definir ações, fazer planejamento, integrar e começar a desenvolver o trabalho. Vamos concluir as pautas prioritárias propostas pela frente.”

Fonte: Agência Indusnet Fiesp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

shares
×