fbpx
terça-feira, junho 18, 2024
Destaque

Dicas para definição do mobiliário de laboratórios de pesquisa

As características do mobiliário de um laboratório de pesquisa são determinadas pelos materiais e equipamentos a serem definidos na fase de levantamento do projeto. Devem ser consideradas necessidades como fluxograma, equipamentos, ensaios realizados, produtos utilizados, para então ser definida a área necessária, e materiais de construção (que são escolhidos de acordo com as necessidades do usuário e respectivos processos), superfície das bancadas, quantidade e dimensões das gavetas e prateleiras, posicionamentos dos equipamentos de piso ou bancadas e suas utilidades, áreas de manuseio, capelas e seus respectivos revestimentos, mesas antivibratórias, entre outras necessidades específicas de cada laboratório.

Também é importante citar os armários corta-fogo, armários para amostras, armários para reagentes, armários com prateleiras e estantes, mesas e arquivos. Além disso, é necessário estudar as necessidades e processos de cada laboratório para sugerir um mobiliário que atenda às necessidades do cliente, sempre com o máximo de ergonomia, segurança e praticidade.

A respeito dos tipos de bancada,  destacam-se as laterais (fixas, podem ser instaladas junto à parede) e as centrais (podem ser instaladas no meio do laboratório – não instaladas junto à parede). O acesso a esse tipo de bancada pode é feito pelos quatro lados. Uma variação pode ser uma bancada central estar ligada a uma bancada lateral. Nesse caso, o acesso se dá por três lados.

Há ainda os Módulos Móveis, para deslocamento sobre rodízios.  

Sobre as características físicas, um laboratório de pesquisa deve ser composto por bancadas de trabalho, com módulos de portas e gavetas e tampo adequado para os produtos manipulados. Também deve possuir coifas de exaustão e captores, capela de exaustão de gases para manipulação de produtos químicos, armários para reagentes, chuveiro e lava olhos de emergência.

É importante considerar as normas de Ergonomia NR-17, que sugerem:

– Tampos com boa resistência a impactos e peso.

– Portas e gavetas sem cantos vivos.

– Bancadas para trabalho em pé com altura de 90 cm.

– Estações de trabalho sentado com altura de 75/80 cm.

Redação – Portal Boas Práticas 

Foto: U.S. Food and Drug Administration

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

shares
×