fbpx
quinta-feira, fevereiro 29, 2024
DestaqueVestimentas

Gestão de uniformes usados em salas limpas e ambientes controlados

A contratação de um serviço de gestão de uniformes pode ser uma boa alternativa para a empresa que busca qualidade constante em uniformização, identificação e imagem de seus colaboradores, praticidade,
Foto: Divulgação MPW

planejamento dos custos com uniformização sem imprevistos e adequação à normas e exigências específicas. Há várias empresas que oferecem esse serviço no país. É o caso da Alsco Toalheiro Brasil. Segundo Erick Kovacs, Supervisor Nacional de Vendas – Cleanroom, um dos fatores que levam as empresas a contratarem tal serviço é a comodidade de receber as vestimentas prontas para ser usadas, dentro das especificações e necessidade da contratante. Outro fator apontado é a praticidade, pois os uniformes são identificados e fornecidos por tamanhos que facilitam o seu uso, e o conforto, pois recebem as vestimentas nos tamanhos desejados, higienizados e prontos para serem usados. “Não menos importante é segurança e agilidade, o material é higienizado e embalado dentro das especificações técnicas, mantendo a integridade, higienização e a qualidade. As vestimentas são entregues em datas programadas por frota própria conforme necessidade e acordado com o cliente”, acrescenta o profissional da Alsco.

Divulgação Globaltex
Divulgação Globaltex

Geraldo Cardoso, gerente de QSMS da Globaltex, destaca  os procedimentos realizados em todas as etapas da gestão. Ele conta que os serviços junto aos clientes iniciam-se primeiramente com a análise do requerimento do usuário, ou seja, que produtos e serviços o cliente deseja e suas especificações, a compreensão e estudo do tipo de atividade deste cliente para a definição do tipo do modelo e tecido apropriado para cada área e atividade executada, definição dos programas de higienização para cada tipo de uniforme de acordo com os insumos ou produtos aos quais os uniformes possam ser expostos, e a que tipo de resíduos de acordo com a sua utilização, levantamento da quantidade de material necessária, medição e confecção dos uniformes, processo de etiquetagem (inserção do código de barras em cada peça) e testes para aprovação realizados pelo setor de Qualidade, com o conhecimento e acompanhamento do cliente.

Após a implantação do contrato, prossegue Cardoso, iniciam-se as atividades de logística com a retirada e entrega de uniformes usados e/ou higienizados/esterilizados de acordo com as quantidades, dias e horários definidos junto com o cliente atendendo as suas necessidades, higienização dos uniformes, embalagem (uniformes em embalagens comuns ou em embalagens grau cirúrgico), esterilização, se for o caso, por irradiação por feixe de elétrons, e envio ao cliente. “Todo o processo possui controle informatizado e é realizado com rastreabilidade total de cada etapa”, ressalta.

Cardoso afirma que cada peça do acervo dos clientes que executam o serviço de gestão de uniformes com a Globaltex recebe uma etiqueta com um código de barras, onde fica registrado todo o histórico de utilização desta peça, desde a sua criação, onde a peça se encontra, quantidade de higienizações a que foi submetida, até a data de seu descarte ou sua inativação. “O cliente possui o controle total de seu acervo de uniformes eletronicamente em qualquer terminal de sua escolha, mesmo de maneira remota”, diz.

O controle total das peças pelo cliente é um ponto importante destacado pela Alsco. A empresa, antes de fechar um contrato, faz previamente um cálculo de consumo semanal e estoque total das peças, para que fique clara a quantidade contratada.

Após este processo, são utilizadas de algumas ferramentas de controle total das peças, tanto para recolha ou envio de material.

Estes controles, afirma Kovacs,  podem ser:

– Controle por Rool, documento que quantifica o que foi recolhido e devolvido ao cliente;

– Controle por código de barras ou Controle por RFID ( Chip), que é feito através de coletor de dados.

A MPW também faz um estudo detalhado das necessidades e expectativas do cliente, as quais abrangem basicamente os pontos abaixo, segundo o gerente comercial Eiric Manrich:

– Levantamento das modelagens em seu detalhe, desde tipo de tecido, cores, presença de bolsos, zíperes, botões, etc. que pode ser uma modelagem já utilizada pelo cliente ou sugerida pela própria lavanderia.

– Levantamento das quantidades/consumo semanal para cada setor ou departamento que será atendido pelo sistema de locação ou higienização. Normalmente essa informação é obtida com os líderes de cada setor na planta fabril.

– Identificação de características operacionais específicas que envolvem desde o acesso da equipe logística de entrega até formas de acondicionamento dos uniformes.

– Para o caso de vestimentas de sala limpa são feitas análises que cruzam as características de processo produtivo e vestimenta de barreira como: tipo de tecido, de barreira, antiestático, hidrorrepelente, etc; necessidade de esterilização e qual processo de esterilização empregado, ou até mesmo desenvolvimento de modelagens específicas caso seja necessário, sempre visando proteger o processo e também em muitos casos proteger o colaborador.

– É feita a avaliação de estrutura de vestiários e forma de organização e armazenamento das roupas no cliente e se há necessidades de adequação;

– Tendo-se essas informações levantadas, faz-se a apresentação e negociação  dos termos comerciais e contratuais.

Redação e edição: Alberto Nascimento e Marcelo Nicolósi
contato@boaspraticasnet.com.br

 

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

shares
×