fbpx
quinta-feira, junho 20, 2024
Notícias

Indústrias investem em energia temporária para economizar até 15% em horário de ponta

Em busca de ampliar a competitividade, indústrias brasileiras estão investindo na contratação de soluções temporárias de energia para reduzir a conta de consumo no horário de ponta. A Aggreko, líder mundial no fornecimento temporário de energia, resfriamento de processos e climatização, observou um aumento de cerca de 40% na procura por locação de geradores de energia de empresas que têm demanda contratada acima de 2.000 kVA e que mantêm alto consumo no chamado horário de ponta.

O horário de ponta é aquele em que a energia elétrica é mais utilizada, formado por um período de três horas consecutivas, que ocorre entre 17h e 22h, conforme a programação de cada concessionária nas diferentes regiões do País. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) é quem define esta faixa de três horas para cada área de concessão, considerando o consumo geral e incluindo feriados, com exceção dos sábados e domingos.

Thiago Moraes, Diretor de Marketing e Vendas da Aggreko para a América Latina, explica que no horário de ponta a energia fica mais cara para os clientes que estão no mercado cativo. “Muitas indústrias, especialmente aquelas que fazem uso intensivo de energia durante todo o dia, como os setores alimentício, químico e siderurgia, fazem estudos de consumo nesse horário para buscar uma economia que pode chegar a até 15% no valor da conta com a contratação de geradores”, detalha.

A vantagem que tem atraído as empresas é a possibilidade de usar a energia temporária apenas durante o período desejado. “O cliente tem seu consumo, parcial ou total, isolado do sistema e ele mesmo gera sua energia, deixando de pagar o valor do horário de ponta para a concessionária, sem necessidade de realizar grandes investimentos em distribuição e ainda reduzindo o risco de falta do insumo nestes horários críticos para o sistema. Esse fornecimento é flexível, ajustando-se à necessidade do cliente, podendo ser aumentado ou reduzido quando necessário”, acrescenta Moraes.

A autoprodução de energia é uma solução viável para empresas que têm um consumo considerado alto no horário de ponta, ou seja, aquelas que estão no mercado cativo de energia elétrica e que trabalham com consumo total entre 17h e 22 horas, cuja demanda contratada está acima de 2.000 KVA.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

shares
×