fbpx
sábado, junho 15, 2024
DestaqueHVAC

Norma para determinação da eficiência de filtros

Uma das normas de suma importância para os profissionais responsáveis pelas soluções que garantem a qualidade do ar em salas limpas é a NBR 16 101-2012 – Filtros para partículas em suspensão no ar – Determinação da eficiência para filtros grossos, médios e finos.

A norma foi publicada em agosto de 2012 pela ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), através da CEE-138 (Comissão de Estudos Especiais Equipamentos de Limpeza do Ar e Outros Gases), independente mas sediada no CB 55 e com apoio do CB 46.

A norma segue basicamente a EN 779, inclusive com as alterações da versão publicada em 2012 para a classificação dos filtros. Esta também foi a norma referência citada na NBR 16401-3 de 2008 tabela 4 (na sua versão de 2002). As principais diferenças entre a NBR16101-2012 (EN 779-2012) e a EN 779 de 2002 são: A nomenclatura dos filtros finos classe F5 e F6 mudaram para M5 e M6 com as mesmas características de eficiência média anteriores passando a ser chamados de filtros “médios”.

As classes F7, F8 e F9: foi incluída para classificação a eficiência mínima (menor eficiência medida durante o ensaio, incluindo a eficiência inicial e a eficiência do meio filtrante descarregado eletrostaticamente), além de manter as mesmas características anteriores de eficiência média. Obs.: para filtros grossos (G1, G2, G3 e G4) não houve alteração no procedimento dos ensaios que é o gravimétrico, utilizando como pó de ensaio o pó Ashrae utilizado na ANSI/Ashrae 52.2. Na NBR 16101-2012 foi adotado o termo “arrestância” para a eficiência gravimétrica. Isto para evitar confusão entre eficiência gravimétrica (arrestância) para filtros grossos e a eficiência para partículas de 0,4 μm utilizada para os filtros médios e finos. Os formatos dos relatórios foram mantidos iguais aos da EN 779, de forma que sejam equivalentes, podendo ser aceitos ensaios feitos em qualquer uma delas por laboratórios acreditados.

NBR 16101-2012  x EN 779-2012
As principais diferenças entre a NBR 16101-2012 e a EN 779-2012 são: Foi incluído o ANEXO E, que tem caráter normativo, incluindo as convenções de dimensões padronizadas, identificação dos filtros, fichas técnicas etc. Foi incluído o ANEXO F, que não tem caráter normativo, mas que é muito importante, dando a classificação energética dos filtros. Para esta classificação, são utilizadas informações que já são requeridas nos ensaios, não acrescentando nenhum trabalho adicional durante os ensaios. Para este anexo foi utilizada a EUROVENT 4/11. A norma poderá ser adquirida no link http://www.abntcatalogo.com.br

Redação – Portal Boas Práticas

One thought on “Norma para determinação da eficiência de filtros

  • Luis Gustavo Berenguel

    Conhecer as especificações dos filtros garante otimização deste recurso. Utilizar a melhor configuração para que se garanta máxima eficiência frente a um investimento adequado é alinhar política de qualidade às demais políticas de gestão da empresa (financeira, ambiental, dentre outras). Ou seja, integrar os objetivos em prol dos interesses do negócio.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

shares
×