fbpx
segunda-feira, junho 24, 2024
DestaqueUtilidades

Óleo, umidade e particulados são os vilões do sistema de ar comprimido

O controle de contaminação no uso de sistemas de ar comprimido é fundamental, já que tais sistemas são usados em salas assépticas para finalidades como o acionamento de dispositivos pneumáticos, o sopro para secagem de produtos ou embalagens e seu enchimento.

Os principais “vilões” dos sistemas de ar comprimido são o óleo, a umidade e particulados. Para assegurar a operação efieciente e confiável do compressor, o ar aspirado deve ser limpo e não conter poeira, fuligem ou partículas sólidas. Caso contrário, esses poluentes ficarão em suspensão no óleo lubrificante ocasionando desgaste excessivo dos cilindros, anéis dos pistões, mancais, etc. e consequentemente aumentando os custos de manutenção.

A presença de umidade compromete a qualidade do produto final, podendo provocar alterações em suas propriedades químicas, além de reduzir sua vida útil de prateleira. Por esta razão, recomenda-se utilizar um sistema de secagem eficiente, normalmente por adsorção, que remove a água / umidade em níveis de temperatura de ponto de orvalho de -40ºC.

Já o óleo altera a pureza e propriedades dos produtos com os quais entra em contato. Por esta razão, deve-se sempre fazer uso de compressor isentos de óleo que sejam certifcados ISO8573-1 Classe O. Para remover-se o particulado contido no ar comprimido, deve-se empregar filtros com malhas de 1 µm e 0,01 µm respectivamente e também filtros bacteriológicos ou esterilizantes. Desta forma, assegura-se a melhor qualidade possível do ar comprimido e consequentemente a melhor qualidade do produto final.

Para evitar a presença de contaminantes, é necessário seguir os seguintes passos:
1º) Saber o grau de exigência necessário para o tipo de aplicação que iremos utilizar para o produto a ser fabricado (onde queremos chegar).
2º) Conhecer as variáveis presentes para classificação do grau de qualidade que está sendo fornecido (onde estamos).
3º) Adequar através de equipamentos específicos o grau de qualidade necessário para atendermos as exigências do produto a ser fabricado (como fazer para chegar).

Indústria farmacêutica
Na indústria farmacêutica, a grande preocupação com relação à contaminação concentra-se nos chamados pontos críticos, que são aqueles pontos nos quais o ar comprimido entra em contato direto com o medicamento que está sendo produzido. Para sanar tal problema são instalados diversos equipamentos a fim de eliminar qualquer tipo de contaminação, e uma grande quantidade de filtros próximos a estes pontos, para garantir a qualidade deste ar.

O filtro de ar comprimido aparece geralmente em três posições diferentes: antes e depois do secador de ar comprimido e também junto ao ponto de uso. A função do filtro instalado antes do secador por refrigeração (pré-filtro) seria separar o restante da contaminação sólida e líquida (~30%) não totalmente eliminada pelo separador de condensados do resfriador-posterior, protegendo os trocadores de calor do secador contra o excesso de óleo oriundo do compressor de ar, o que poderia impregná-los, prejudicando sua eficiência de troca térmica.
O excesso de condensado no secador também reduziria sua capacidade de resfriamento do ar comprimido, pois se consome energia para resfriar um condensado que já poderia ter sido eliminado do sistema.

No caso de sistemas dotados de secadores por adsorção, o pré-filtro deverá garantir que nenhuma quantidade de contaminação líquida, inclusive os aerossóis de água e óleo, atinja o material adsorvedor, obstruindo seus poros e impedindo a sua reativação.

O filtro instalado após o secador (pós-filtro) seria o responsável pela eliminação da umidade residual (~30%) não removida pelo separador mecânico de condensados do secador por refrigeração, além da contenção dos sólidos não retidos no pré-filtro.
A capacidade do pós-filtro efetuar a eliminação de qualquer umidade residual é seriamente afetada pela temperatura do ar comprimido na saída do secador.

No caso de sistemas dotados de secadores por adsorção, o pós-filtro destinaria-se apenas à retenção das partículas sólidas produzidas pela abrasão do material adsorvedor (poeira do adsorvedor).

Já os filtros instalados no ponto de uso seriam utilizados para evitar que os contaminantes presentes ao longo da tubulação de ar comprimido atinjam a aplicação final do mesmo.

Redação – Portal Boas Práticas

2 thoughts on “Óleo, umidade e particulados são os vilões do sistema de ar comprimido

  • Irani Fraga Dilva

    Gostaria de saber qual a norma que determina o grau isso 8,7,5e 4.8.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

shares
×