fbpx
domingo, junho 23, 2024
Cadeia do Frio e LogísticaDestaque

Logística farmacêutica e cadeia de frio: desafios e tecnologias

Selecionar o tipo de transporte e embalagem ideal para cada medicamento é um dos desafios da cadeia logística farmacêutica. A escolha parte do requisito do produto transportado, atrelada à qualidade e custo esperados.

Foto: Divulgação Testo

Uma das empresas que possuem soluções para este mercado é a Sealed Air. “Contribuímos nesse processo ao oferecer ao cliente uma ferramenta de análise comparativa exclusiva, que juntamente com o entendimento técnico e comercial das variáveis envolvidas, ajuda a determinar o quanto uma solução de embalagem  custa e o que ela agrega de valor”, explica Vanessa Alonso Burri, diretora, responsável pelo desenvolvimentos de negócios globais para a divisão Cold Chain.

Caixa com cartão de monitoramento de temperatura TempTrip®. Divulgação Sealed Air
Caixa com cartão de monitoramento de temperatura TempTrip®. Divulgação Sealed Air

Segundo ela, o  cliente pode se beneficiar,  por exemplo, ao escolher embalagens com maior autonomia, da migração de modal de transporte, passando a operação ou parte dela do frete aéreo para o frete rodoviário. “Além de ter uma solução mais robusta a empresa ainda se beneficia com a economia em frete”, diz.

Um dos principais desafios do processo é  transportar os produtos com qualidade, no tempo certo, ao menor custo total possível. “Neste cenário, nossa missão é oferecer ao mercado farma soluções que maximizem a eficiência da embalagem, ao mesmo tempo garantindo qualidade e proteção durante o transporte”, afirma Vanessa.

A Sealed Air, multinacional americana especializada em soluções de embalagem para proteção com mais de 60 anos de Brasil, e com produção local em planta certificada BPF, oferece atualmente em seu portifólio 23 tipos de sistemas de embalagem pré-qualificados para o transporte de produtos com temperatura controlada. As faixas de temperatura são diversas, com tempos de duração superiores às soluções tradicionais, e com volumes úteis distintos e customizados para diversas necessidades.

Vanessa destaca os diferenciais dos produtos da empresa. “As soluções da Sealed Air são desenvolvidas para garantir a manutenção da qualidade dos produtos através de dados mais consistentes. Todo um racional de análise, através de ferramenta exclusiva, é feito em conjunto com o cliente, visando levantar todos os fatores que atualmente contribuem no custo total da operação”, diz. Segundo ela, o resultado é valor e diferenciação em aspectos como: otimização de frete, otimização de payload, custo total do sistema, simplicidade de montagem, performance térmica, performance física, impacto ambiental. “Em alguns casos as caixas são entregues em painéis ao invés de volumes montados, permitindo inclusive redução significativa de espaço de estocagem”, explica.

A diretora da Sealed afirma que todas as embalagens são testadas utilizando melhores práticas globais, atendendo critérios bastante rigorosos quanto ao mapeamento térmico e procedimento de testes. A Sealed Air seria a única empresa que disponibiliza câmaras climáticas automatizadas capazes de simular as variações de temperatura no transporte, além da visualização dos pontos de temperatura dentro da embalagem em tempo real.

Qualificação
Vanessa também destaca a importância da qualificação de embalagens: “é imprescindível para manter a qualidade do produto durante o transporte até o seu destino final. Para isto, este processo deve ser feito de maneira a garantir que a embalagem mantém o produto na temperatura correta, pelo tempo esperado.”

A qualificação de embalagens, feita de maneira correta, deve contemplar necessariamente tres etapas, sendo QD ( Qualificação de design), QO (Qualificacao de operacao) e QP (Qualificacao de performance), que somadas têm o papel de garantir que a solução de embalagem cumpre o requisito esperado. “Na QD, são escolhidos os materiais e esquema de montagem que se espera funcionar. Na QO, tais escolhas são submetidas a condições reais de temperatura no transporte. A QP somente acontece quando os sistemas de embalagem são aprovados na QO. Nesta etapa, são realizados envios a destinos críticos das rotas do cliente, em triplicatas, em períodos quente e frio”, explica.

Testo oferece soluções para o segmento
Nelson Cafiero, gerente de produto da Testo do Brasil, destaca a importância do monitoramento da temperatura e umidade em produtos sensíveis e indica alguns produtos úteis para esse fim.

Saveris permite monitorar a temperatura e umidade em centros de distribuição, bancos de sangue, museus, hospitais, laboratórios e muitos outros edifícios climatizados. Divulgação Testo
Saveris permite monitorar a temperatura e umidade em centros de distribuição, bancos de sangue, museus, hospitais, laboratórios e muitos outros edifícios climatizados. Divulgação Testo

“O registro de dados referentes a temperatura e umidade é um quesito primordial para boa conservação de produtos perecíveis e sensíveis, pois é a garantia de conservar o que esta sendo produzido”, resume Cafiero.

É dentro do quesito monitoramento no transporte e armazenagem na cadeia do frio, segundo ele, que se enquadra o Testo Saveris.  “O testo Saveris é composto de base, sondas e roteadores que permitem monitoramento profissional, recebendo dados de até 150 sensores, avalia e os documenta. Para mantê-lo informado em tempo útil quando os limites são ultrapassados, a base Saveris com módulo GSM dispara um alarme: envia SMS para o seu celular ou através de relé de alarme luminoso ou sonoro”, explica o gerente.

A respeito das vantagens do produto, Nelson Cafiero ressalta que até 150 sondas podem ser ligadas, possui display gráfico, quatro botões de controle, interfaces: sem fio, Ethernet, USB, SMS de alarme e relé de alarme para conexão de dispositivos de alarme (por exemplo, luminoso ou sonoro).

Com o testo Saveris, prossegue Cafiero, pode-se monitorar a temperatura e umidade em centros de distribuição, bancos de sangue, museus, hospitais, laboratórios e muitos outros edifícios climatizados. “A base Saveris é o coração do sistema, e pode fazer até 40.000 leituras por canal . Isto corresponde a uma taxa de medição de 15 minutos com um ano de capacidade de memória, ou de outro modo: 18 000 000 de medições no total. Isto torna o sistema Saveris seguro e confiável. O módulo GSM de base Saveris inclui alerta para valores críticos via SMS para o seu celular ou smartphone”, explica.

Ele destaca ainda que os dados do sistema e alarmes são visíveis a qualquer momento através do display da base Saveris incluindo módulo GSM. “Não fique mais em dúvida sobre as condições climáticas de suas mercadorias, pois agora você já tem como saber isso onde quer que esteja”, conclui.

Redação – Portal Boas Práticas

 

 

One thought on “Logística farmacêutica e cadeia de frio: desafios e tecnologias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

shares
×