fbpx
sábado, junho 15, 2024
AutomaçãoDestaqueNotíciasValidação

Upgrade técnico do SAP ECC para a versão do SAP HANA e Migração de dados

Um dos sistemas mais utilizados nas indústrias é o ERP (Enterprise Resource Planning) que é a plataforma por onde, entre outras funcionalidades, são gerenciados os materiais desde a entrada da matéria prima até a entrega do produto acabado. O sistema mais utilizado na maioria das grandes indústrias de Life Sciences é o SAP que recentemente lançou o seu modelo mais novo: S/4 HANA, com banco de dados próprio chamado HANA. A aplicação S/4 muda totalmente o conceito comparado com o modelo atualmente mais instalado (ECC).

Neste artigo, falaremos do estudo de caso de validação de sistemas computadorizados envolvendo o projeto de upgrade técnico do banco de dados Oracle do SAP ECC para o banco de dados SAP HANA e o trabalho dos profissionais de T.I. na migração dos dados. Um projeto que durou 4 meses e contou com a participação da Five Consultoria, envolvendo ao todo, mais de 140 profissionais. Neste mesmo artigo, daremos um resumo aos temas associados com a nova versão S/4 HANA, como as interfaces SAP Screen Personas e SAP Fiori.

Upgrade técnico de Host do SAP ECC para SAP HANA

O upgrade técnico envolve apenas a atualização do banco de dados, mantendo-se as funcionalidades do sistema. Essa estratégia é adotada por empresas que pretendem se adaptar a um aumento gradativo da produtividade e adquirir melhor preparação para a atualização de todo sistema, que exige tempo e mobilização de grande parte dos profissionais na empresa.

Com o upgrade técnico, a empresa amplia substancialmente a capacidade de gerenciar grandes volumes de dados em uma velocidade superior e agiliza o processo de transformação digital e assim atende as novas e desafiadoras demandas do mercado.

A estratégia de validação no Upgrade do Banco de Dados para o SAP HANA

É de grande importância que a transferência de dados na atualização do Host conte com o envolvimento da equipe de Validação de Sistemas em conjunto com a equipe de T.I. para garantir que a transferência dos dados BPX relevantes esteja de acordo com as normas regulatórias.

Após identificada a classificação do sistema, tem-se início o processo de validação com o objetivo final de comprovar que as funcionalidades existentes continuarão configuradas e os dados no banco de dados Oracle serão preservados com a migração para o SAP HANA.

Estratégia de validação no processo de Migração dos Dados do Host do SAP ECC para o SAP HANA

Uma análise de riscos por módulos permitiu um registro da situação anterior à extração dos dados do antigo host do SAP ECC, para estabelecer um panorama do antes e depois da migração e definir quais dados mereciam um acompanhamento mais próximo na transferência para o banco de dados do SAP HANA. Essa etapa deve contar com o acompanhamento dos Key Users capazes de avaliar o impacto dos dados a serem migrados.

Análise de Riscos Funcional e Especificação de Migração de Dados

Nessa fase, a Análise de Riscos Funcional auxilia na identificação de ameaças para a correta execução de processos específicos no sistema, bem como a definir controles para a redução desses riscos. Neste momento é definida a estratégia de migração dos dados, a fim de conferir segurança e integridade aos dados e ao processo. Também é realizado um plano de controle, para comparar o antes e depois da transferência dos dados.

Planejamento dos testes

Os testes são muito importantes para avaliar o comportamento do sistema diante da configuração realizada. A princípio foram realizados testes isolados nos softwares envolvidos no projeto para aferir a funcionalidade e qualidade das transações destes com o sistema. Os testes válidos para a validação foram realizados no ambiente de qualidade, ambiente que foi preparado para reproduzir ao máximo o ambiente produtivo, permitindo que fossem simuladas transações já com a plataforma SAP HANA configurada.

Para certificar que a transferência dos dados não causaria contratempos no pós Go LiveSAP HANA do sistema, a migração foi testada mais de uma vez antes de ser realizada a migração final. Posteriormente, foram realizados testes integrados que envolvem a interação de processos em toda a cadeia produtiva, já com os Key Users definidos e integrações com outros sistemas. Vejam os detalhes por fase:

Qualificação de instalação

Na fase de Q.I. o protocolo de testes é criado para desafiar e aferir a capacidade da estrutura de hardware e software em atender os requisitos necessários para o sistema cumprir suas funções. Também são realizados procedimentos que avaliam a capacidade de backup e contingência dos dados no sistema.

Qualificação de Operação

Na Qualificação da Operação, foram avaliadas interações críticas com impacto BPx, entre o sistema e interfaces que inserem ou retiram dados do sistema, como GED, E-commerce e WMS, com o objetivo de validar essas interfaces.

Um plano de controle, para comparar o antes e o depois da migração contribui para uma avaliação quantitativa e qualitativa dos dados migrados, no que diz respeito à integridade desses dados no processo de transferência para o novo Host.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

shares
×