fbpx
terça-feira, junho 18, 2024
HVACNotícias

ABRAVA e SINDIAR alertam contratantes e contratados do mercado de ar-condicionado no Nordeste

A ABRAVA – Associação Brasileira de Refrigeração, Ar-condicionado, Ventilação e Aquecimento e a Rede SINDIAR – Associação de Empresas de Refrigeração e Ar Condicionado do Ceará, albergada pelo SINCOPEÇAS – Sindicato representativo da categoria no estado do Ceará, se uniram para um alerta sobre as complicações em instalações de equipamentos de ar-condicionado na região Nordeste. A mão de obra não qualificada apresenta prejuízos tanto para o contratante como para o contratado. As ineficiências de instalações de baixa qualidade causam danos morais e civis a todos os agentes envolvidos.

Para o eng. Newton Victor, presidente do Sindiar “ Nossos governantes precisam ter ciência que a nossa atividade é relevante e emprega muita gente e que há necessidade de se oferecer cursos profissionalizantes nesta área, qualificando a mão de obra existente e as que virão.  Que a tributação no nosso País seja justa e que benefícios fiscais como estão sendo oferecidos por muitos estados da federação, deixam menos receitas para a nação e mais dinheiro na mão de poucos. E, para finalizar que os fabricantes invistam em treinamentos na região do Nordeste”.

As entidades recomendam que as empresas contratadas para as instalações de equipamentos de ar-condicionado sejam idôneas, cumpram as normas recomendadas, contratem apenas profissionais qualificados, que participem de cursos de reciclagem, pois, este é um setor que exige atualização em quesitos como a eficiência energética, substituição de fluidos refrigerantes, revisão de normas como a NBR 16401, entre outros aspectos.

O papel de órgãos do governo neste processo é de extrema importância, é preciso que haja fiscalização e regulamentação, pois, desta forma o setor terá o respaldo em questões como o uso inadequado de fluidos refrigerantes, que destroem a camada de ozônio, e a utilização de outros tipos de gases que se manuseados indevidamente podem até causar explosões por combustão interna nos sistemas de ar condicionado.

Para o presidente da ABRAVA, o engenheiro Arnaldo Basile, “esta é uma das mais importantes questões que a Associação tem tratado e vem trabalhando em nível Nacional. Enfatizo também que toda e qualquer ação começa com a conscientização do profissional do setor que deve respeitar as boas práticas de instalação, operação e manutenção”.

Neste processo o consumidor final é o maior prejudicado, pois, o oferta do produto, a facilidade de compra de equipamento em redes de lojas de varejo e até mesmo pela internet, favorecem apenas o processo de aquisição, fato que, por outro lado deixa ao consumidor a responsabilidade da contratação de um instalador, momento que começa o problema, pois,  nem sempre o mesmo tem condições de avaliar o prestador de serviço, muitas vezes vão pelo valor da mão de obra cobrada, e, quando acaba ocorrendo diversos contratempos por conta de uma má instalação, como alta da conta de energia, mal funcionamento do equipamento, tempo de vida útil reduzido, danos ao imóvel, entre outros.

Com a escassez de empregos formais no Nordeste, hoje estão disponíveis no mercado muitas ofertas de mão de obra desqualificada, a informalidade pode ser encontrada com facilidade, o que descaracteriza a seriedade dos profissionais capacitados e empresas que prestam seus serviços da forma como manda as normas e leis em vigor.

Ao setor é dada a premissa de obrigação dos profissionais registrados no CREA para efetiva assinatura das ARTs- Anotações de Responsabilidades Técnicas. Vários municípios exigem a Licença Ambienta para a atividade, a Prefeitura de Fortaleza, por exemplo, já cobra esta licença nos editais da prefeitura. Há ainda, a necessidade de ter o Cadastro Técnico Profissional junto ao IBAMA para que o manuseio dos gases refrigerantes sejam controlados e manuseados por profissionais habilitados para que os mesmos não sejam despejados ao Meio Ambiente. A ANVISA – Vigilância Sanitária cabe fiscalizar o controle do ar em ambientes e casas de máquinas

Sobre a questão de mão de obra qualificada, hoje as mesmas acontecem por meio de cursos ministrados por entidades do setor, fabricantes dos equipamentos, além de, uma unidade do Instituto Federal no Pernambuco e uma escola profissionalizante no Ceará, que forma técnicos em Eletromecânica e que em parceria com o SINDIAR, estão sendo treinados e já por 3 semestres seguidos, estão estagiando em empresas do setor, recebendo conhecimentos de refrigeração para poderem se qualificar e trabalhar no nosso mercado.

Mais informações sobre empresas e profissionais no Nordeste contatar o Sindiar – Rua Antenor Frota Wanderley, nº 535 – Sala 1, Benfica – Fortaleza-CE, telefone (85) 3055-9066.

Sobre a ABRAVA acessar www.abrava.com.br.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

shares
×